O que visitar em Aveiro em dois dias

Aveiro, cidade portuguesa que junta a ria ao mar. Terra de Sal, do Moliço e dos Ovos Moles. Cidade atravessada por uma rede de canais por onde navegam e passeiam barcos moliceiros. Estas embarcações, esguias e coloridas, serviam para recolher algas e sargaço.

Mas não é só a ria e o mar que apaixona qualquer um pela cidade. Existem atrações culturais, monumentos e edifícios históricos para contemplar. Não precisa de uma semana de férias para conhecer a cidade, bastam dois dias. Mas se quiser ficar mais tempo, uma coisa é certa: não se irá arrepender!

 

Em que altura do ano devo visitar Aveiro?

O clima em Aveiro, apesar de ventoso, é ameno o ano inteiro. Nem muito quente no verão, nem muito frio no inverno. Por se localizar no litoral português, é climatizado pelo ar puro do mar e da ria. Nos meses de verão é mais fácil apanhar dias de sol intenso que combinam bem com uma viagem a Aveiro com visita às praias, mas visitar Aveiro é maravilhoso em todas as alturas do ano e a cidade está preparada para o receber em qualquer altura.

 

O que fazer em Aveiro em dois dias?

  • Conhecer a “Arte Nova”

Distinguida como a cidade-museu da Arte Nova em Portugal, Aveiro é membro da “Réseau Art Nouveau Network” a par de Barcelona, Bruxelas, Budapeste, Glasgow, Helsínquia ou Havana.

Basta um passeio a pé pelo centro da cidade para conseguir identificar todos os edifícios e monumentos que ostentam as marcas deixadas por nomes como Ernesto Korrodi, Francisco Augusto da Silva Rocha, Jaime Inácio dos Santos, José de Pinho ou Carlos Mendes.

Existem edifícios que não podem deixar de ser visitados ao longo da cidade, entre eles: a Casa do Major Pessoa, a Casa Edifício do Rossio, Casa dos Ovos Moles, o Museu da Cidade, o Edifício da Cooperativa Agrícola, o Edifício Restaurante Pensão Ferro, o Edifício da Residência do Arquitecto Silva Rocha e o Coreto do Parque Municipal Infante D. Pedro.

 

  • Antiga Estação de Comboios de Aveiro

Este emblemático edifício está completamente revestido de um grande número de painéis de azulejos da Fábrica da Fonte Nova, datados de 1916, reproduzindo motivos regionais, o edifício da estação possui o mais importante conjunto de azulejaria exterior de Aveiro. É composto por três partes: uma central, de três pisos, e duas laterais simétricas, com dois pisos. Assume-se como exemplo, a nível regional, do estilo denominado de Casa Portuguesa.

 

  • Passeio de Moliceiro (reserve o seu, aqui)

A atividade mais turística de Aveiro é o passeio de moliceiro. Estas embarcações eram originalmente utilizadas para a apanha do moliço. Os moliceiros têm uma proa e uma ré muito elegantes que normalmente estão decorados com pinturas que ridicularizam situações do dia a dia. Durante o passeio poderá ficar conhecer os locais de maior interesse turístico da cidade de Aveiro de uma perspectiva diferente da habitual.

Estes barcos tradicionais são autênticas raridades que embelezam os canais da ria com o seu colorido garboso, proas e popas erguidas em poli cromo festival de pinturas ingénuas, deslizando com elegância sobre as águas enegrecidas e lodacentas.
Além destes, encontramos um moliceiro que permite sulcar as águas lagunares com recurso à sua imponente vela e com os mais diversos temas tradicionais tal como as cercaduras com motivos florais e marítimos.

 

  • Degustação dos tradicionais Ovos Moles

Trata-se de um doce regional, tradicional da pastelaria aveirense, cuja fórmula e método de produção original se deve às freiras dos vários conventos aqui existentes até ao século XIX – dominicanas, franciscanas a carmelitas, nomeadamente o Mosteiro de Jesus de Aveiro.

O fabrico dos Ovos Moles em Aveiro é uma prática secular, de origem conventual. O seu modo de confeção tem sido passado de geração e geração e são vários os documentos e testemunhos históricos a atestar a existência deste doce, nomeadamente algumas obras do escritor Eça de Queiroz – Os Maias e A Capital -, onde ele refere os ovos moles como sobremesa servida. Talvez não saiba, mas os ovos moles de Aveiro foram o primeiro produto da pastelaria portuguesa a receber a denominação IGP – Indicação Geográfica Protegida.

Para além do sabor intenso, é a aparência que torna os ovos moles de Aveiro um doce verdadeiramente peculiar. A proximidade da ria e os elementos do mar inspiraram as doceiras, que com o seu toque mágico criam finas camadas de hóstia em forma de conchas, búzios, peixes ou amêijoas para envolver a massa voluptuosa de cor dourada. Outra forma de degustar esta iguaria é comê-la das barricas de madeira ou porcelana, adornadas com pinturas de paisagens da Ria, moliceiros ou o Farol da Barra.

Ao conhecer Aveiro com a Royal Tuga, oferecemos um desconto 10% em Ovos Moles na Oficina do Doce.

 

  • Visita às Marinhas de Sal de Aveiro (reserve o seu, aqui)

Foi durante a Idade Média que se deu início à exploração do sal de Aveiro através do processo de evaporação. No entanto, a atividade sofreu várias alterações ao longo dos anos como consequência de fatores de ordem natural e de natureza antrópica, dada a conjuntura sociopolítica do país e da cidade

As Salinas de Aveiro são uma vasta área de exploração de sal localizada na Ria de Aveiro. Estas marinhas são uma parte importante da história da região.

O trabalho nas marinhas de sal de Aveiro é considerado uma arte milenar que exige um trabalho árduo por parte de quem o produz. Para além de ainda se realizar a safra anual, isto é, a colheita anual de sal que tem início no mês de Julho, as salinas foram recentemente adaptadas a várias atividades turísticas na cidade.

A exploração tradicional das marinhas de sal de Aveiro é uma atividade em vias de extinção e, consequentemente, ser marnoto, o homem responsável pela extração do sal artesanal com a utilização de alfaias de madeira, assume-se como uma profissão que terá os dias contados. Se visitar Aveiro, não deixe de conhecer este ecossistema único.

 

  • Degustação de Ostras

A aquacultura de ostras, berbigão e amêijoas passou a ser um ex libris da nossa região.

Antigas marinhas da cidade de Aveiro foram recuperadas e requalificadas para possibilitar a aquicultura de ostras, amêijoas, salicornia e peixe. Nestas marinha são produzidos todos estes bivalves e plantas, recorrendo à riqueza da Ria de Aveiro com o seu ecossistema diversificado e as suas características únicas para este tipo de produção.

Poderá agendar a sua visita e conhecer um pequeno refúgio situado na Marinha Passagem, propriedade de oito hectares rodeada pelos canais da Ria de Aveiro e apenas acessível de barco. As características naturais e únicas das suas águas, possibilitam condições privilegiadas para a produção de bivalves.

Apaixone-se pelo verdadeiro sabor a mar e venha degustar a nossa maior iguaria: as ostras. Ao natural ou gratinadas, as ostras são servidas no antigo palheiro de sal da Marinha Passagem. O local foi recuperado e ao visitar-nos pode usufruir da esplanada, descansar nas nossas camas de rede ou tomar um gin no nosso bar de madeira sobre a ria.

 

  • Conhecer o Museu de Santa Joana

Fundado em 1458, este antigo convento dominicano feminino onde viveu Santa Joana Princesa reflete a vivência da comunidade das freiras ao longo de cerca de quatro séculos, com diferentes estilos arquitetónicos.

O Museu de Aveiro está instalado no antigo Convento de Jesus da Ordem Dominicana feminina. Este convento, um dos mais antigos de Aveiro, remonta à 2ª metade do séc. XV, fundado por D. Brites Leitão e por D. Mécia Pereira. A princesa D. Joana, filha de Afonso V, entra nesta casa em 1472. Aqui leva uma vida de santidade, o que conduz à sua beatificação em 1693. O prestígio do convento ficou assim definitivamente associado à presença da Princesa Santa Joana e ao seu culto religioso.

A sua localização no centro da cidade é, sem dúvida, de registar.

 

  • Conhecer a Antiga Fábrica de Cerâmica Jeronymo Pereira Campos

A Antiga Fábrica de Cerâmica Jeronymo Pereira Campos foi fundada em 1896 e situa-se no coração da cidade. Ali se fabricava os tijolos e as telhas do tipo marselhesa, sendo a única fábrica deste material entre Porto e Pampilhosa. Uma parte das instalações da fábrica é agora o Centro Cultural e de Congressos de Aveiro em conjunto com serviços públicos, sendo o espaço em frente totalmente remodelado. Contém agora um excelente espaço ajardinado e arborizado percorrido por um dos ramais da Ria de Aveiro. Neste espaço pode-se caminhar, fazer desporto, andar de bicicleta, sendo um espaço para todas as idades.

A 200 metros a leste do edifício encontra-se a que foi a capela (terceira imagem) pertencente ao complexo. Podemos ainda ver duas das torres que também pertenceram à fábrica, uma dentro do lago e outra a 400 metros de distância a oeste do edifício.

 

  • Visitar a Ponte dos Carcavelos

A Ponte dos Carcavelos, também conhecida por ponte dos Namorados, é uma das muitas pontes de bela arquitectura que pode apreciar num passeio de barco na Ria de Aveiro. A antiga Ponte dos Carcavelos sobre o Canal de S. Roque em Aveiro, era simples, rudimentar e pouco sólida. Construída em madeira, acabou por desabar a 09 de Setembro de 1942, numa altura em que estava cheia de pessoas que desejavam ver uma corrida de bateiras, integrada no programa das festas de Nossa Senhora das Febres, não havendo desastres graves a lamentar.

Foi reconstruída e é a ponte mais antiga da região de Aveiro.

 

  • Conhecer o Mercado do Peixe

Desde 1910 que o mercado do peixe está no Bairro da Beira Mar, em Aveiro. Este mercado secular encontra-se mesmo no coração de Aveiro, entre dois braços da Ria – na movimentada “Praça do Peixe”. Vale a pena a visita!

 

É difícil ficar indiferente ao seu sabor, as tripas são um doce característico de Aveiro e diz-se que tiveram a sua origem nas Praias de Aveiro, nomeadamente na Praia da Barra e Praia da Costa Nova.
São doces e quentinhas, feitas na hora. Uma especialidade que se pode provar numa das barraquinhas que se encontram ao longo das avenidas. Podem comer-se simples, com ovos moles, com chocolate ou com o recheio que mais apreciar. A receita da tripa doce é um segredo dos deuses, como tal o melhor é reservar uma beach tour com a Royal Tuga e degustar a tripa doce.

 

Há muito mais para descobrir em Aveiro. Contacte-nos para que possamos proporcionar uma experiência única e enriquecedora através dos nossos passeios.

Join The Discussion

Procurar

Dezembro 2019

  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
Preço
Características

Compare listings

Compare